Desde jovem, sempre fui um apaixonado por lidar com pessoas. A complexidade do ser humano me atrai, justamente por não ser algo linear, finito ou digital, o famoso “0 ou 1”.

Já se vão 35 anos lidando com “people” e cada vez me convenço mais que somos universos diferentes e que por sermos únicos, devemos entender a singularidade e tratar cada um de forma exclusiva……..inclusive criei uma frase para isso:

“Não existe maior injustiça que tratar pessoas completamente diferentes de maneira igual”.

Essa minha frase coloca por terra aquela outra famosa frase, conhecida como “regra de ouro”: “Trate as pessoas como gostaria de ser tratado”. Sem sombra de dúvida, é uma frase maravilhosa, empática e amigável, porém eu te pergunto: como vou tratar alguém como eu gostaria de ser tratado, se eu e você somos mundos diferentes e únicos?

Nessa minha trajetória ligada ao auto e heteroconhecimento, mais especialmente nos últimos 11 anos onde treinei milhares de pessoas, tive a certeza de que uma maioria, infelizmente não sabe o SENTIDO da sua vida, ou para citar uma palavra mais atual e que tem sido muito utilizada, não sabe o seu PROPÓSITO DE VIDA.

Mas o que é um propósito ou missão de vida? Costumo provocar os meus alunos fazendo a seguinte indagação: “Qual seria a atividade/trabalho que você faria 24 horas, 7 dias por semana, que te cansaria bastante, mas que mesmo assim você estaria radiante de felicidade e extremamente grato? O que faz o seu olho brilhar? A ideia aqui não é discutir se trabalhar tanto assim é bom ou não…..lembre-se: estamos a procura do seu propósito de vida e não falando de “work-life balance”, ou seja, o equilíbrio entre o trabalho e sua vida.

Capa do livro "Em busca de sentido", de Viktor Frankl

Quando falo ou escrevo sobre esse assunto, me vem imediatamente a mente uma obra fantástica que eu não poderia deixar de citar em um artigo cujo tema é PROPÓSITO: Em Busca de Sentido, do neuropsiquiatra austríaco Viktor Emil Frankl, fundador da terceira escola vienense de psicoterapia, a Logoterapia e Análise Existencial.

Esse livro conta a história do Viktor nos campos de concentração na 2ª Grande Guerra onde ele “testou” os próprios conceitos daquilo que foi batizado posteriormente como a Logoterapia. Mas o que é a logoterapia? Vamos primeiro a etimologia da palavra: deriva do grego: “logos (sentido) e therapéia (terapia, cuidado), em uma tradução livre seria algo como terapia do sentido da vida ou terapia existencial.

Vktor Frankl: "Quem tem um 'porquê' enfrenta qualquer 'como'."

Victor Frankl, nos legou muitas frases e a que mais gosto e que faz muito sentido para mim é a que está acima!

Qual o sentido dessa frase no meu entendimento? Penso que tem tudo a ver com aquilo que ensinamos em sala de aula………ESCOLHAS, ou seja, a forma como você encara os seus problemas, fracassos, derrotas, etc….. vai depender da sua capacidade de escolher se eles vão te afetar e como vão te afetar, mas principalmente do seu propósito. Se ele está bem estruturado e sedimentado na “rocha”, não será qualquer vendaval que irá tirar você do FOCO e dos seus OBJETIVOS. E qual o sentido dessa frase para você???

O único sentido de Viktor Frankl nos campos de concentração era SOBREVIVER, nada mais que isso! Vale lembrar que isso ocorreu ao mesmo tempo em que ele perdeu a sua família……..será que há dor maior? Depende do ponto de vista de cada um, pois os seres humanos tendem a pensar que a sua dor é sempre maior que a do seu semelhante.

Para te ajudar, se é que você ainda não tem o seu propósito de vida, elenco algumas perguntas para você refletir e escrevê-lo:

1)  Quais são as suas principais características?

2)  Atualmente existe alguma coisa que você gostaria de fazer e não está fazendo?

3)  Se sim, qual o motivo de não estar fazendo?

4)  Atualmente existe alguma coisa que você não gostaria de fazer e está fazendo?

5)  Se sim, qual o motivo de você estar fazendo?

6)  Em uma escala de 1 a 10 quanto que você se sente realizado (a) fazendo o que faz?

7)  O que você mais gosta de fazer na vida?

8)  Como que você deseja ser lembrado (a) depois da sua morte?

9)  O que você deseja que esteja escrito no seu epitáfio?

10) Por que você existe? ESCREVA O SEU PROPÓSITO!

A essa altura, depois de escrever tudo isso, você pode esar pensando: o Ronald falou tanto sobre propósito, mas qual é o propósito dele? Vamos lá:

“TRANSFORMAR PESSOAS E ORGANIZAÇÕES ATRAVÉS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO RUMO AOS SEUS OBJETIVOS E FELICIDADE!”

Espero ter provocado algumas reflexões, mas principalmente ação! Pense se há alguém que você pode ajudar sugerindo a leitura desse artigo, pois acredite, tem muita gente por aí, independentemente da idade que não sabe por que veio a esse planeta.

Eu tenho uma convicção: não viemos a turismo!

E você?

O CÉU NÃO É O LIMITE!

Os prejuízos do efeito manada

Faz 30 anos que lido com pessoas e ainda hoje o efeito manada me impressiona. Como é possível que tantas pessoas se permitam serem guiadas, influenciadas ou manipuladas por outras?

Em que mundo você vive: Tesarac, Vuca, Bani ou todos estes?

No mundo do conhecimento, em especial no corporativo, vivemos uma “sopa de letrinhas” ou sendo um pouco mais literário, uma “sopa de acrônimos”. Mas o que é um acrônimo?